Os postes de iluminação deviam ser usados como pontos de carga para veículos elétricos

Um dos grandes entraves à disseminação dos veículos elétricos (VEs) é a falta de infraestrutura de recarga. E enquanto este problema não for resolvido, continuará a haver indecisos que não dão o salto para a mobilidade elétrica com receio de não ter onde “abastecer” o seu veículo.

A falta de infraestrutura para os VEs é, todavia, só aparente. Afinal de contas, as tomadas elétricas estão em todo o lado e não são difíceis de encontrar. Um veículo elétrico pode muito bem ser carregado numa tomada caseira normal e não precisa de qualquer posto especial. A diferença entre uma tomada normal e um posto de carga está no tempo que demora a carregar a bateria: mais lento em casa, mais rápido nos postos.

Um posto de carga, mesmo um “lento”, disponibiliza à partida muito mais potência do que a maioria das pessoas tem em casa, o que aumenta a velocidade a que é feita a carga da bateria. Por exemplo, se a bateria tem 60 kW/hora (KWh) e o posto é capaz de disponibilizar 60 kWh, então carregar a bateria demora em teoria uma hora. Claro que estes tempos são teóricos, porque temos também de ter em consideração outros fatores como capacidade útil da bateria, temperatura e o facto de, para proteger a bateria, a velocidade de carga diminuir à medida que nos aproximamos da carga completa.

Mas apesar de ser fácil encontrar uma tomada elétrica, a verdade é que muitos de nós vivem em apartamentos e não é prático ou possível usar extensões para carregar o carro

Então, qual é a solução?

Postes de iluminação

Uma das soluções que está a ser testada em várias cidades na Europa é a disponibilização de tomadas em postes públicos de iluminação. É uma solução simples mas engenhosa que ajuda a contornar o problema de como disponibilizar de forma rápida a instalação de postos de carregamento.

A maioria dos carros está mais de 90% do tempo parada. A instalação de tomadas nos postos públicos de iluminação aproveita-se desta característica para disponibilizar carregamentos relativamente lentos, mas que têm como vantagem não ser necessário reconfigurar a cablagem dos próprios postes de iluminação para que aguentem potências mais elevadas. Assim, poupa-se tempo e dinheiro.

A Siemens anunciou em agosto de 2018 a intenção de instalar 1150 destes postos de carga em Londres até 2020, em parceria com a empresa Ubitricity. Segundo a empresa, basta aos condutores estacionarem perto de um destes postes e ligar o seu VE usando um cabo especial fornecido para o efeito. Este cabo inclui um contador que identifica o ponto de carga e o utilizador e liga a energia. Os dados são enviados para o fornecedor de energia, que se encarrega, depois, de cobrar a energia consumida ao utilizador.

Segundo a Siemens, converter um poste de iluminação e prepará-lo para servir de ponto de carga demora menos de uma hora — uma fração do tempo necessário para instalar um posto de carga normal. Vê-se o porquê de esta solução estar a ser usada lá por fora.

Esta não será, certamente, a solução final para melhorar a infraestrutura de carga para os veículos elétricos. Mas é uma solução que permite ampliar bastante a infraestrutura existente e de forma rápida. E precisamos de ampliar e melhorar a nossa infraestrutura, para incentivar a transição para a mobilidade elétrica.

Márcio Florindo

Foi jornalista de tecnologia durante 15 anos e mais recentemente dedicou-se aos temas da mobilidade elétrica e energias renováveis. É apaixonado por ciência desde que se lembra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *