Baterias para carros elétricos mais sustentáveis

O Instituto Fraunhofer anunciou que desenvolveu um novo processo para produzir baterias que é mais amigo do ambiente e não inclui o uso de solventes tóxicos. A técnica envolve o uso de um filme seco para cobrir os elétrodos, ao contrário dos químicos líquidos que são usados atualmente. Segundo o Instituto, este processo é mais simples, poupa energia e elimina o uso dos solventes tóxicos que são neste momento necessários para construir baterias de iões de lítio.

Ao contrário de todos os anúncios que normalmente vemos no campo das baterias, esta não é uma descoberta para daqui a cinco anos. O Instituto Fraunhofer diz que este processo de fabrico já foi testado com sucesso por uma empresa Finlandesa.

Menos energia, sem solventes tóxicos

Neste momento, para construir uma bateria de iões de lítio é preciso gastar bastante energia e usar solventes químicos. Foi exatamente esta problemática que os engenheiros do Instituto Fraunhofer na Alemanha quiseram resolver, para tornar este fabrico mais sustentável e mais barato.

“O nosso processo de transferência seca reduz significativamente os custos de cobrir os elétrodos”, diz Benjamin Schumm, diretor do projeto. Schumm acrescenta que com este processo, “os fabricantes podem eliminar os solventes dispendiosos e tóxicos, e poupar eletricidade durante o processo de secagem” dos componentes das baterias de iões de lítio.

Esta técnica também abre o caminho na direção de baterias com maior densidade de energia, ao “facilitar o uso de materiais que eram muito difíceis ou mesmo impossíveis” de usar com os tradicionais métodos que usam solventes.

“Por todas estas razões”, diz Schumm, “penso que a nossa tecnologia pode ajudar a tornar a produção de células de baterias um processo competitivo para a Alemanha e para a Europa”.

Tesla também tem filme seco

O anúncio agora feito pelo Instituto Fraunhofer lembra a tecnologia da Maxwell, que a Tesla adquiriu recentemente. É positivo ver desenvolvimentos tecnológicos que vão tornar a construção de baterias um processo mais amigo do ambiente, já a muito curto prazo.

Márcio Florindo

Foi jornalista de tecnologia durante 15 anos e mais recentemente dedicou-se aos temas da mobilidade elétrica e energias renováveis. É apaixonado por ciência desde que se lembra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *